Por dentro da Lore: O Templo Negro

O Templo Negro é a fortaleza-cidadela de Illidan Tempesfuria, senhor de Terralém. Uma vez o local fora conhecido como o Templo de Karabor, e mudou de mãos muitas vezes ao longo das gerações. A entrada para o Templo Negro não é em um de seus principais portões, mas sim um portal de instância situado em uma brecha na muralha do sul, abaixo das ruínas de Karabor. Ele não tem mais uma sintonização necessária.

Templo de Karabor

Antes da destruição de Draenor, o Templo de Karabor era um local sagrado para os draeneis que servia de refúgio ao Profeta Velen. Logo após a formação da Horda, Gul’dan ordenou a conquista do templo. Ao descobrir que a Legião Ardente estava manipulando os orcs, os líderes draeneis sabiam que não podiam mais defender suas propriedades e ordenaram que suas forças se retirassem para cidade de Shattrath e Karabor.

Durante a batalha que se seguiu, os draeneis foram ajudados por Arakkoa como Grizzik, e contra todas as probabilidades os defensores em menor número foram capazes de empurrar os implacáveis ​​orcs de volta.

Em resposta, Gul’dan e o Conselho das Sombras decidiram ignorar os avisos do clã Lua Negra sobre a Estrela Negra, um antigo deus do Vazio que na verdade era o naaru K’ara caído. Eles conduziram um ritual para convocar a Estrela Negra em sua guerra contra os draeneis e a canalizaram em Karabor.

Um pilar de energia do Vazio rasgou os céus e atingiu Karabor, levando muitos defensores draeneis à loucura, enquanto muitos outros morreram instantaneamente. Velen chamou seus poderes para manter o Vazio à distância e reunir os sobreviventes ao porto de Karabor, mas a Estrela Negra escureceu para sempre Karabor, e ficou conhecida como Templo Negro e foi tomada pelos orcs. 

A derrota

Após a derrota, os clérigos draeneis capturados de Karabor foram marchar para fora, dizendo que deviam ser levados à Cidadela Fogo do Inferno como prisioneiros de guerra. O bruxo Teron’gor assassinou todos e cada um deles a sangue frio fora dos muros. Em algum momento, o orc J’argg Bloodfyre veio aqui e obteve o sangue de Mannoroth.

Durante a invasão de Draenor, foi usada como fortaleza por Ner’zhul e suas forças do clã Lua Negra. Após a destruição do planeta e sua transformação em Terralém, o Templo Negro foi tomado pela Legião Ardente. Foi usado como “um local de preparação para a campanha de destruição da Legião.

A volta de Illidan

Quando Illidan, o Traidor, fugiu para Terralém, após a Terceira Guerra, ele derrubou o governante do Templo – o lorde das profundezas Magtheridon – e reivindicou seu trono como o senhor do mundo destruído. Após sua derrota nas mãos de Arthas Menethil, Illidan retornou ao Templo Negro, onde reside até hoje. Nem suas atividades ou estado mental são conhecidos neste momento.

Embora Malfurion tenha declarado que Illidan ficou louco, acreditando que ele matou Arthas e cumpriu a missão que Kil’jaeden o enviou, a Cruzada Ardente diz que “Illidan vive com medo de que ele seja descoberto por seus poderosos inimigos – principalmente Arthas, o novo Lich Rei e os senhores restantes da Legião Ardente. ” Apesar da amarga retribuição de seus inimigos, Illidan começou a se apoderar de Terralém de dentro do santuário profanado, onde aguarda todos e todos que contestariam seu governo. 

O Templo Negro foi sitiado uma vez pelas forças Sha’tar do Alto General Auralion, mas esses draeneis foram destruídos por Val’zareq, o Conquistador do Sigilo Carmesim, e seu líder capturado. Algumas vezes depois, a Legião Ardente desencadeou o destruidor vil Armagedom no Templo.

Ataque de Akama e Maiev

Mais tarde, outro exército combinando as forças dos Scryers e Aldor atacou novamente, desta vez ajudado pelos rebeldes: Akama, ex-prisioneiro do Traidor, e Maiev Cantonegro.

Kanrethad Ebanez e Jubeka se infiltraram no Templo Negro, fugindo dos Devotos da Morte Grislíngua. Ao entrar no Santuário das Almas Perdidas, Kanret o reconheceu como a fonte de energia que permitia Illidan controlar os demônios sem que fossem corrompidos pelas energias vis endêmicas da Legião, e teorizou que ela havia sido originalmente concebida como fonte de energia para substituir a Nascente do Sol quando Kael’thas Andassol e seus elfos sanguíneos alinhados com ele.

Desde a “morte” de Illidan, ela cresceu em força e poder, esperando para ser aproveitada. Os dois bruxos prepararam um cristal para absorver as magias arcanas dentro do Santuário, deixando-o fazer o seu trabalho quando ouviram as patrulhas caçando-os.

Mais tarde, um aventureiro que estudou magias bruxas logo seguiu sua trilha. Recuperando o cristal e levando-o ao cume. O bruxo testemunhou a abertura de um enorme portão, e dele veio Kanrethad, em uma forma demoníaca monstruosa, completamente corrompida pela absorção de muita energia vil. Embora os poderes de Kanrethad fossem formidáveis, o bruxo perseverou o tempo suficiente para Jubeka chegar e cumprir o pedido anterior de Kanrethad de bani-lo.


Os céus de Terralém escureceram quando o próprio Kil’jaeden apareceu diante de Illidan, furioso com o fracasso de Illidan em destruir o Lich Rei. O Traidor foi forçado a voltar a Azeroth para um ataque desastroso à Coroa de Gelo. Sangrado pelo cavaleiro da morte Arthas, mas não totalmente derrotado, Illidan retornou a Terralém e estabeleceu seu trono no Templo Negro.

Eu amo e defendo a classe de Sacerdote em qualquer jogo que eu pise, caso não vejo a luz, eu escolho ser um mago que sabe que inteligencia é poder. Jogo Hearthstone desde o beta mas ainda sim não peguei o famigerado rank Lenda. Metido a escritor de lores e fico fantasiando sobre qual será a próxima expansão sempre que a Blizzard anuncia a última.