#Hearthstone,  blizzard,  Café com Blizz,  curiosidades,  Hearthstone,  HS,  Lore,  personagens,  skin,  World of Warcraft

Por dentro da Lore(Parte I): Vereesa Correventos

Vereesa Correventos é a General do Pacto de Prata. Uma general élfica que lutou durante a Segunda e Terceira Guerra. Ela é a irmã mais nova de Alleria e Sylvana, viúva do Arquimago Rhonin e mãe de Giramar e Galadin.

Depois de se tornar guarda, ela conheceu Rhonin em uma missão de escolta e juntos eles ajudaram a libertar a Rainha Dragão Alexstrasza do clã Presa do Dragão. Quase todos os parentes de Vereesa foram mortos por orcs na Segunda Guerra e na invasão do Príncipe Arthas em Quel’Thalas.

Pacto de Prata

Quando Rhonin se tornou líder do Kirin Tor, Vereesa criou o Pacto de Prata, um núcleo militante de elfos que rejeitou a admissão dos elfos sangrentos no Kirin Tor e que assumiu a responsabilidade de servir como um dissuasor militar para qualquer potencial Levante Fendessol.

Ela se autodenominou “General do Pacto de Prata”, sua própria versão do General de Luaprata. Após a morte de seu marido e um ato de traição, ambos causados ​​pelos elfos sangrentos do Kirin Tor, Vereesa juntou-se a Jaina Proudmoore, que sucedeu Rhonin, no Expurgo Fendessol de Dalaran.

Família

Vereesa é um membro da proeminente família Correventos. Suas irmãs mais velhas, Alleria e Sylvana, eram capitãs de ranger e general da guarda de Luaprata, respectivamente. Ela também tinha um irmão mais novo chamado Lirath. Sua família vivia nas tranquilas florestas de Quel’Thalas. Eventualmente, ela também se tornou uma guarda a serviço da cidade dos elfos de Luaprata. 

Durante a Segunda Guerra, quando a floresta de Quel’Thalas começou a queimar misteriosamente, Vereesa, ao lado de Alleria, foram atacadas por trolls da floresta. Felizmente, eles foram resgatados por Sylvana e seus guardas.

Jovem para sua espécie, Vereesa tinha apenas um ano de seu aprendizado após a Segunda Guerra. Ela tinha um relacionamento particularmente próximo com Sylvana, a quem ela admirou e tentou imitar durante toda a sua vida. Depois que Alleria e seu marido Turalyon desapareceram em Draenor, Vereesa acolheu seu filho Arator. 

Cidadela Violeta

Vereesa está na Cidadela Violeta de Dalaran junto com Rhonin, o Arquimago Aethas Fendessol e o Arquimago Modera. Ela está envolvida na cadeia de missões de Quel’delar: Os campeões do Pacto de Prata lutarão contra as forças do Flagelo nos Salões Congelados e sua contraparte fendessol em Dalaran para restaurar a lâmina mágica Quel’Delar de seu estado contaminado pelos Rainha Lana’thel. Ela aparece como parte da facção Pacto de Prata em Dalaran, e é hostil aos jogadores da Horda como resultado. Ela não vai atacar, não pode ser atacada e não pode interagir com ela.

No final das contas, a oposição de Vereesa à readmissão dos elfos sangrentos em Kirin Tor estava fadada ao fracasso: a própria Vereesa não tinha influência política dentro de Dalaran, e os Fendessol foram capazes de superar sua oposição no Kirin Tor. 

Convocação

Ela foi convocada pelo guarda general de Luaprata, Halduron Asaluz, para ajudar a enfrentar a ameaça de um império troll revitalizado em Zul’Aman. Viajou então para Quel’Thalas, e se encontrou com Halduron ao lado do Vol’jin.

Não foi bem recebida nos escalões superiores da Cidade de Luaprata, e Lor’themar Theron enviou um mensageiro para perguntar por que ela estava presente em Quel’Thalas.

Frustada, menciona que Quel’Thalas é sua casa tanto quanto é dele, e que ela não verá isso cair nas mãos de seu antigo inimigo. Halduron afirma que ele a convidou pessoalmente para suplementar seus próprios Farstriders, pois levaria tempo para lembrar o suficiente deles. Os dois generais ranger junto com Vol’jin discutem seus planos para a batalha.

Jaina e Theramore

Quando Jaina Proudmoore pediu ajuda para defender a Ilha Theramore contra um ataque devastador da Horda, Vereesa veio com seu marido Rhonin para ajudar. No entanto, após a batalha, ela foi informada que o elfo sangrento Thalen Tececanto, um traidor da Horda dentro do Kirin Tor, havia sido resgatado durante o ataque.

Depois de coordenar com Shandris Plumaluna e suas sentinelas, Vereesa levou um grupo de batedores para o Pântano Vadeoso para procurá-lo, e, sendo assim, não estava presente quando Garrosh Grito Infernal usou uma bomba de mana para destruir Theramore e todos os seus habitantes, incluindo Rhonin.

Voltou a Dalaran para lamentar a morte do marido, e acompanhou Jaina para implorar ao Conselho dos Seis que tomassem medidas contra Orgrimmar, em retaliação pela morte de Rhonin. Mais tarde, ela apareceu com seus filhos no memorial de Rhonin.

Kirin Tor

Vereesa liderou o Pacto de Prata ajudando o Kirin Tor e as forças da Aliança a expurgar a Horda de Dalaran, depois que Jaina Proudmoore descobriu que Fendia Solar ajudou Garrosh Grito Infernal a roubar o Sino Divino, usando os portais de Dalaran para se infiltrar em Darnassus. O Pacto de Prata foi fundamental para evitar que os Fendessol escapassem e neutralizassem quaisquer insurreições da Horda ou simpatizantes dos Fendessol que estivessem ajudando e incentivando sua resistência ao encarceramento.

Vereesa serviu como líder secundária da Ofensiva Kirin Tor, perto da Guarnição Shado-Pan, onde acompanharia os membros da Aliança até a nau capitânia de Lady Jaina Proudmoore, na Ilha do Trovão.

Ela revelou que os pandaren estavam preocupados com o retorno de Lei Shen, o Rei do Trovão, mas pessoalmente ela estava mais preocupada com a Horda. Expressou sua preocupação com a presença da Horda na ilha, com medo de que o mundo em geral sofresse se colocassem as mãos na fonte do poder de Lei Shen. Ela também estava ansiosa para vingar a morte de seu marido. 

Ela acompanhou Jaina até a Travessia Ensanguentada e batalha com as forças mogus na área. Depois de vencerem a batalha contra Shan Bu, Vereesa estava presente quando Jaina e Lor’themar se enfrentaram no pátio. Unidos por compartilhar um inimigo improvável, Jaina e o senhor regente chegaram a um acordo, embora Vereesa não quisesse recuar, afirmando que mataram seu marido, mas Jaina a lembrou que lutar aqui não o traria de volta.

(Continua…)


Eu amo e defendo a classe de Sacerdote em qualquer jogo que eu pise. Jogo Hearthstone desde o beta, mas ainda sim peguei apenas uma vez o rank Lenda. Fico fantasiando sobre qual será a próxima expansão sempre que a Blizzard anuncia a última.