#Hearthstone,  blizzard,  Card Game,  Cards,  carta,  curiosidades,  Hearthstone,  HS,  Lore,  Terralém,  World of Warcraft

Por dentro do Card: Karrath Carpunhal

 

Karrath Carpunhal foi o Chefe Guerreiro da Horda Vil e Chefe do clã Mão Despedaçada. Ele ganhou o apelido “Punho de Lâmina” depois que cortou sua mão esquerda para escapar do cativeiro de ogro. Ele a substituiu por uma foice mortal, ‘O Punho de Lâmina’, e se tornou o Chefe da Mão Despedaçada. Ele era chamado de impiedoso. 

Escravidão

Ele foi criado como escravo pelos ogros do Império Goriano. La ele foi preso e mantido sob Malho Imponente por muitos anos, lutando por sua própria liberdade, e se tornando um gladiador. O preço para ganhar sua própria liberdade era tirar cem vidas de orcs enquanto lutava na arena. Tendo vencido todas as batalhas contra seus oponentes, Karrath saiu de Malho Imponente, apenas para descobrir que a promessa de liberdade era uma mentira. Ele foi jogado em uma masmorra embaixo da arena e desesperadamente cortou sua mão, que estava presa por grilhões, em frustração e raiva. Os outros escravos orcs, vendo sua determinação, seguiram seus passos e fizeram o mesmo. Eles seguiram Carpunhal em sua revolta contra os ogros e o ajudaram a matar o imperador. Karrath mostrou a cabeça decepada do imperador para seus seguidores, e eles levantaram as mãos decepadas, armadas com lâminas, torcendo por ele. Este momento marcou o nascimento do clã Mão Despedaçada.

Fundação de um novo clã

Ele levou seu novo clã a estabelecer uma vila dentro das densas e pantanosas florestas dos Pináculos de Arak, chamada Forte dos Punhos de Lâmina. Muito parecido com o resto do seu clã, ele teve um grande prazer em causar dor aos outros e a si próprio. Com base nas ações de seu colega alternativo, pode-se presumir que as relações da Mão Despedaçada com os Arakkoa locais eram pouco pacíficas.

Karrath esteve presente na celebração de Kosh’harg em Nagrand. Mais tarde, ele se tornaria um dos membros originais do Conselho das Sombras, embora não fosse um bruxo. Como parte do conselho, ele vigiou a aliança com ogros e clãs rebeldes. 

Destruição, exterminação e caos

Após a destruição da cidade de Shattrath, o Chefe Guerreiro Mão Negra ordenou que Carpunhal exterminasse os altos Arakkoa no território de seu clã, os Pináculos de Arak, pois sua super arma era uma ameaça para a Horda. O exército de Kargath consistia em sua Mão Despedaçada, a Lâmina Ardente e a Presa do Dragão.

Eles invadiram as florestas perto de Beira-Céu, mas não estavam preparados para o armamento dos Arakkoa. O raio abrasador de fogo que atravessava as florestas incinerou dezenas de orcs onde eles estavam. Em vez de montar outro ataque direto, Karrath procurou aliados nos Malditos Párias de Arakkoa e fez uma barganha: se os Arakkoa se infiltrassem em Beira-Céu e destruíssem o armamento, os orcs se juntariam à luta e matariam os altos Arakkoa. Então, os Párias poderiam tomar Beira-Céu.

A aliança com os párias

Seduzidos pela oferta, os Párias se infiltraram em Beira-Céu e travaram guerra contra a cidade. O que faltavam em números compensavam sua magia e destruíam o mecanismo no topo da cidade. Uma explosão ofuscante rasgou o céu e incendiou os céus. Quando Carpunhal e suas forças finalmente chegaram, eles massacraram os altos Arakkoa, como prometido, e expulsaram seus corpos da cidade. No entanto, os orcs loucos por batalhas também atacaram os Párias.

Karrath os via como uma ameaça. Sabendo que eram espertos e inteligentes, ele supôs que um dia aprenderiam a exercer os mesmos poderes que os altos Arakkoa tinham e ele não poderia correr esse risco. Além disso, ele simplesmente gostava de trair os desgraçados. Os seguidores de Carpunhal não mataram todos os Altos Arakkoa que encontraram, alguns foram feitos prisioneiros e lançados no Vale de Sethekk com base em histórias que os Párias haviam contado a eles. Karrath se divertiu ao ver o último dos altos Arakkoa se contorcendo em agonia quando a energia das sombras os transformou. No final, o ataque da Horda às Agulhas de Arak destruiu a alta civilização Arakkoana e matou quase todos os Párias.

Ficando em Draenor

Quando a primeira onda de clãs chegou a Azeroth, Karrath relutantemente ficou para trás em Draenor, sob o domínio desconfortável de Ner’zhul, o Xamã, que só permaneceu no poder através de seus números – e a ameaça sempre crescente do ogro mago Dentarg. Quando o clã do Vale Sangrante retornou a Draenor muitos anos depois, ele imediatamente se ofereceu para enviar seu clã para Azeroth, na esperança de matar gloriosamente os humanos para vingar seus irmãos e irmãs caídos ou capturados.

Ele, ao lado de Grommash Grito Infernal, foi o primeiro a ouvir e se juntar ao plano de Ner’zhul. Depois que a Aliança invadiu Draenor, eles estabeleceram um ponto de apoio e construíram o Forte da Honra. De lá, eles invadiram a Cidadela Fogo do Inferno, pensando que Ner’zhul residia lá. No entanto, Karrath e Dentarg foram deixados lá para distrair a Aliança enquanto Ner’zhul tentava abrir as fendas para outros mundos no Templo Negro. Os guardas élficos de Alleria mataram as sentinelas da cidadela e abriram os portões, permitindo que a Aliança invadisse e matasse a maior parte do clã de Carpunhal.

A batalha

Dentarg foi destruído por Hadggar naquela batalha fatídica. No entanto, Karrath entendeu que ele havia sido deixado lá para morrer e conseguiu puxar algumas de suas forças para trás e escapar. Na esperança de interceptar a Aliança e continuar seu serviço à Horda, ele viajou para Nagrand e tentou convencer a avó Geyah a emprestar-lhe guerreiros. Ela recusou o pedido, pois a vila era um local de doentes. Irritado, Carpunhal disparou. Percebendo que tinha poucos soldados para fazer a diferença, ele decidiu abandonar a luta e recuperar a Cidadela do Fogo do Inferno um dia no futuro, quando estava mais forte e mais preparado.

Parece que em algum momento Carpunhal se tornou um orc vilão e substituiu sua outra mão por uma arma semelhante a uma espada, assim como muitos de seus colegas vilões orcs. Karrath cumpriu sua promessa de recuperar a Cidadela Fogo do Inferno, tornando-se Chefe de Guerra da Horda Vil, supervisionando Magtheridon. Agora prisioneiro de Carpunhal, Magtheridon forneceu às forças de Illidan sangue de Lorde Abissal para criar Orcs Fel mais fortes. Quando a invasão de Terralém começou, Carpunhal encontrou sua cidadela recuperada novamente sitiada. Ele finalmente encontrou sua morte no coração dos Salões Despedaçados. Seu prisioneiro e arma, Magtheridon, também foi morto, encerrando a ameaça que a Horda Vil representava sob Karrath.


Eu amo e defendo a classe de Sacerdote em qualquer jogo que eu pise. Jogo Hearthstone desde o beta, mas ainda sim peguei apenas uma vez o rank Lenda. Fico fantasiando sobre qual será a próxima expansão sempre que a Blizzard anuncia a última.