#Hearthstone,  blizzard,  curiosidades,  Hearthstone,  herói,  homenagem,  HS,  Lore,  personagens,  personalidades,  World of Warcraft

Por dentro da lore: Hadggar – Parte 2

Hadggar é talvez o mais talentoso de todos os magos vivos e um dos mais poderosos da história Azerotiana. Atualmente atua como líder do Kirin Tor. Confira a segunda parte da história dele (Confira a parte 1 clicando aqui)


Quel’Thalas

Ele lutou ao lado de Lothar pelas primeiras escaramuças em Hillsbrad e Southshore. Depois de forçar a Horda de seu desembarque inicial na praia, as forças da Aliança seguiram-os para o nordeste até a passagem da montanha, levando à fortaleza de Aerie Peak pelos anões Wildhammer.

Desconhecido pelas tropas da Aliança, o objetivo da Horda não era a fortaleza dos anões lá. Era apenas uma simulação para atrair a maior parte de seus perseguidores para uma diversão de gato e rato nas montanhas e florestas do interior, enquanto o corpo principal da Horda marchava na terra élfica de Quel’Thalas. A partir desse local, poderiam lançar um ataque contra cidade de Luaprata ou Stromgarde. Depois de perceber as verdadeiras intenções da Horda, Lothar enviou Turalyon, Hadggar e Alleria para interceptar a Horda antes que queimassem o lugar. O exército foi transportado para uma área perto de Stratholme e continuou até a fronteira. A Horda prosseguiu e incendiou a Floresta Eversong, ao sul de Quel’Thalas. 

As forças aliadas conseguiram deter o avanço da Horda em Quel’Thalas, mas isso custou muitas vidas e uma porção considerável da Floresta Eversong foi destruída. No entanto, a destruição arbitrária da Horda e o ataque brutal à sua casa convenceu os elfos a apoiarem totalmente a Aliança.

Quando Hadggar finalmente deixou Quel’Thalas, estava à frente de uma armada élfica. Eles chegaram à capital, depois de passar pela região montanhosa de Alterac, bem a tempo de voltar ao cerco de Doomhammer, e depois perseguiram os orcs de volta às praias de Southshore. 

Quando a Horda recuou mais ao sul, os dois exércitos da Aliança finalmente se reconectaram e marcharam atrás deles. As duas forças entraram em conflito, o Chefe da Guerra da Horda, Orgrim Doomhammer, finalmente lutou e matou Anduin Lothar. Ao invés de destruir a determinação da Aliança como Doomhammer pretendia, a Aliança se reuniu sob Turalyon e a maior parte da Horda foi derrotada. As forças da Aliança continuaram para o sul em direção ao Portal Negro e derrotaram os remanescentes da Horda reunidos lá.

Tendo estudado os feitiços de Medivh e a natureza do Portal Negro, Hadggar conseguiu destruí-lo, cortando efetivamente o vínculo entre Azeroth e Draenor e cortando os reforços da Horda. A fenda entre os mundos permaneceu, no entanto. Para se proteger contra um segundo ataque de Draenor, Hadggar supervisionou a construção da Fortaleza Nethergarde nas Terras Blasted. 

O Portal Negro

Os temores de Hadggar seriam validados apenas um ano após a conclusão de Nethergarde, quando o portal se abrisse novamente. Com isso as forças orcs começaram a surgir, atacando estrategicamente para roubar artefatos poderosos. Em seu momento de descanso, Hadggar teve um sonho particular. Nele, ele era um gigante correndo no meio de Lordaeron, com a aparência jovem que tinha antes de ser amaldiçoado por Medivh. Quando ele notou Dalaran, ele correu em direção e lentamente começou a encolher. Quando ele tocou a calçada, ele estava em seu tamanho normal novamente. Lá, ele entrou na Cidadela Violeta, onde um jantar com um anfitrião o esperava,  Antonidas. Ele o avisou que o Olho de Dalaran foi roubado. Antonidas o promoveu à categoria de arquimago e o colocou em uma posição de autoridade sobre a missão de entrar no Portal Negro e investigar Draenor. 

Percebendo o caos que a Horda poderia trazer, a Aliança lançou uma expedição ao mundo dos orcs, liderada por Hadggar. Em Draenor, ele descobriu rapidamente que a situação era ainda pior do que ele temia. Os orcs, sob a liderança do xamã Ner’zhul, planejavam abrir portas para novos mundos para a Horda saquear. Durante o ataque dos Filhos de Lothar à Cidadela Fogo do Inferno, Hadggar entrou em um duelo de honra com Dentarg. A magia de Dentarg não conseguiu atingir as defesas de Hadggar, e quando Dentarg lançou seu feitiço mais poderoso, Hadggar apenas a absorveu na palma da mão e foi revigorado por ela. Aceitando sua derrota contra um feiticeiro mais poderoso, ele inclinou a cabeça e Hadggar o decapitou. 

Movendo-se dali, Hadggar e seus companheiros procuraram o Crânio de Gul’dan, encontrando-o nas mãos de Asa da Morte e, para esse fim, formam uma aliança com Gruul contra a Revoada Negra. Depois disso, Gruul e seus subordinados ogros, juntamente com os heróis, desafiaram o Asa da Morte nas Montanhas da Lâmina Afiada – matando seus ovos. Enfurecido por esse ato, Asa da Morte pousou em cima deles e atacou Gruul.

Embora claramente não seja páreo para o poder do Aspecto louco, Gruul foi salvo pelo feitiço milagroso de Hadggar quando desmontou algumas das placas de Adamantium, que mantinham o corpo instável de Asa da Morte, resultando no recuo dele. 

Sempre ao lado da Magia e de Azeroth

No entanto, as forças da Aliança finalmente falharam em impedir que Ner’zhul escapasse para seus portais, e a subsequente energia caótica que os portais liberaram começou a destruir o planeta. Para evitar a potencial destruição de Azeroth, o arquimago usou o livro de feitiços de Medivh para fechar o Portal Negro do outro lado, protegendo Azeroth do Cataclismo final da destruição de Draenor. Hadggar conduziu os sobreviventes a uma das brechas e voltou aos remanescentes de Draenor.

Hadggar é imortalizado em uma enorme estátua de pedra no Vale dos Heróis em Ventobravo, ao lado dos outros líderes da Expedição da Aliança.

Ele viajou por Draenor visitando lugares como Auchindoun e Bastilha da Tormenta. Magos do Olho Violeta pediram ajuda para a reabertura de Karazhan. Quatro meses antes da morte do Traidor, os Sha’tar o enviaram a Eternévoa para investigar algumas aparências estranhas. Então ele não estava presente quando Maiev visitou a cidade, mas o diretor soube dele com Alexius, um estalajadeiro quebrado. 

Hadggar provavelmente também conheceu o vindicante Maraad, um Draenei Paladino, durante esse período, e provavelmente ficou surpreso ao ser informado de que Garona não era apenas metade Draenei, mas também era sobrinha de Maraad. As explicações de Maraad sobre os antecedentes dela deram a Hadggar uma imagem completa e uma melhor compreensão dela, percebendo o paralelo entre ela e Medivh. Suas experiências, por sua vez, aumentaram a busca de Maraad pela sobrinha e o conhecimento do que aconteceu com ela depois que ela deixou Draenor através do Portal Negro e até o final da Segunda Guerra. Os dois homens aparentemente também se tornaram bons amigos como resultado de se conhecerem.

Hadggar explica às variadas raças de Azeroth que, apesar de terem resistido à Legião Ardente duas vezes, a Legião Ardente ainda está marchando pelo universo, continuando sua Cruzada Ardente, uma guerra em andamento para acabar com a vida no universo, queimando planetas e esmagando todo mundo seu caminho e que os aventureiros devem participar da luta. 

A busca por Garona

Maraad partiria para Azeroth com a reabertura do Portal Negro para continuar sua busca por Garona. Ele finalmente retornou brevemente com Med’an, o filho de Garona, a qual ele atribuiu uma semelhança com Maraad. Além de perceber, imediatamente, que o jovem provavelmente era filho de seu antigo mestre, Medivh. Tendo aprendido a verdade recentemente, e sentindo vergonha de sua herança, Med’an confirmou isso. No entanto, Hadggar explicou que acabara percebendo que Medivh e Garona haviam sido condenados antes mesmo do nascimento; vítimas de Sargeras e Gul’dan, respectivamente. Mesmo assim, ele diz que, para Med’an ter nascido, eles devem ter lutado contra seu destino e, através dele, as forças demoníacas ainda podem ser desfeitas. Agora, sabendo que seus pais não eram os responsáveis ​​pelo mal que haviam causado, Med’an agradece a Hadggar por responder às perguntas que ele tinha em mente. Ele se recusou a se juntar ao Novo Conselho de Tirisfal, mas enviou o elfo sangrento Dalynnia Wrathscar.

O Conselho Tirisfal

Hadggar é revelado como membro do Conselho dos Seis e esteve presente durante as duas reuniões entre o Conselho e Jaina Proudmoore, que estava solicitando ajuda para defender a ilha de Theramore da Horda e, posteriormente, por atacar Orgrimmar.

Embora não especificado, Hadggar é “o suspeito mais provável” de ter solicitado que A’dal enviasse ajuda a Theramore. 

Hadggar estava feliz por ter sobrevivido à destruição de Theramore. Enquanto o Conselho discutia a proposta de Jaina de destruir Orgrimmar em retaliação pela morte de Rhonin, foi Hadggar quem disse a Jaina o veredicto final dos Seis – Dalaran não a ajudaria a atacar Orgrimmar. O raciocínio foi de que muitos inocentes, e que nada tinham a ver com a destruição de Theramore, seriam pegos no fogo cruzado da vingança de Jaina. Hadggar apelou ao orfanato de Orgrimmar como um exemplo disso. Jaina respondeu que as crianças serão criadas para odiar a Aliança de qualquer maneira.

No final, foi ele quem sugeriu que Jaina Proudmoore fosse eleita como o novo líder do Kirin Tor substituindo o recém-falecido Rhonin; baseado em pergaminhos de profecia que foram escritos pelo próprio Krasus que indicavam que Jaina estava destinada à posição.

A Horda de Ferro

Quando o Portal ficou vermelho, a Horda de Ferro marchou para as Terras Devastadas e destruiu a Fortaleza Nethergarde. Incomparável em sua sabedoria e experiência, Hadggar foi convocado para ajudar a repelir a invasão.

Agora recém-barbeado, ele é visto pela primeira vez examinando o Portal. Ele então se transformou em um corvo e foi informar o Chefe de Guerra Vol’jin e o rei Varian Wrynn.

Em Draenor, Hadggar mostra a capacidade de se transformar em um corvo, que ele aprendeu com seu mentor Medivh. Ele também é visto empunhando Atiesh, Grande Cajado do Guardião.

Ele liderou as forças combinadas da Horda e da Aliança ao lado de Thrall, Lady Liadrin e Maraad até a cratera do Portal Negro e começou a missão de fechar o portal no lado de Draenor. Em Tanaan, ele dirigiu os aventureiros na desativação do portal. Após a retirada, eles enfrentaram Ner’zhul, que tentou derrubar a caverna onde estavam. Hadggar teletransportou o grupo antes que o xamã pudesse soterrá-los.

Quando o Portal Negro entrou em colapso, ele deixou Tanaan nos navios da Horda de Ferro.

Após o desembarque, ele abriu portais para a construção da guarnição para a Horda e a Aliança, respectivamente. Em Frostfire Ridge, Hadggar expressou gratidão por pelo menos alguns membros da Horda terem concordado em trabalhar ao lado dele e da Aliança contra a Horda de Ferro. Ele ficou no posto avançado de Starfall, em Lua Negra, planejando parar Gul’dan.

Localizando Gul’Dan

Projetando-se para a vila, o arquimago instruiu a pegar o líder do Conselho das Sombras. Gul’dan escapa antes que ele possa ser capturado. No entanto, ele envia a versão alternativa da linha do tempo do velho amigo de Hadggar, Garona, depois de Hadggar, que quase consegue assassiná-lo, mas é interrompido e combatido por Cordana. Ele também viaja para Frostfire Ridge, onde pediu ao comandante da Horda que o ajude com os orcs Frostwolf de Throm’var e continua com seu objetivo original – o Conselho Sombrio (o resultado exato de capturar Gul’dan também acontece aqui).

Ele está baseado em Zangarra, em Talador, e acolhe Aliança e Horda lá, embora não sem problemas de guardiões arcanos. Ele participa da Batalha por Shattrath para libertar a cidade do controle das tropas da Horda de Ferro lideradas por Orgrim Doomhammer e Blackhand. Sua força limpou o porto e os navios da Horda de Ferro. Quando os heróis atacaram Blackhand em sua capitânia, uma explosão aconteceu. Hadggar acreditava que ninguém sobreviveu, mas depois de ver um lampejo da Luz, ele teletransportou Yrel, Durotan, comandantes e heróis falecidos de volta ao porto e ordenou que disparassem os navios restantes. Ele também pediu à arquimaga Elandra para ajudar os Auchenai na luta contra a Legião; e o Arquimago Modera para espionar a Ascensão de Socrethar.

Mais tarde, ele trabalha com aventureiros para combater Gul’dan e o Conselho das Sombras. Depois que Maladaar lhe enviou uma mensagem urgente, ele ordenou que os comandantes se infiltrassem em Auchindoun, onde aparentemente mataram Teron’gor e adquiriram seu sangue, que foi usado em uma tentativa fracassada de localizar Gul’dan. Mais tarde, os comandantes e Hadggar encontraram-se com Crona em Nagrand. Eles estavam procurando por Kairozdormu, apenas para encontrar seu cadáver na Clareira Perdida no Tempo, onde lutaram com seu espírito, derrotando-o no processo.

Através de um feitiço, Gul’dan informa Hadggar que ele estava perguntando sobre ele e descobriu que eles têm uma história – e que a investigação funciona nos dois sentidos. Garona tenta novamente matar Hadggar e, desta vez, ela o envenena com sucesso apenas para que sua vida seja salva por Cordana e pela recém-chegada Jaina Proudmoore.

De volta a busca por Garona

Garona é posteriormente capturada quando Hadggar começa a procurar uma maneira de quebrar o feitiço de controle mental de Gul’dan nela. Nesta tentativa, ele tenta usar um feitiço nela, e a interroga quanto à localização de seu mestre, ficando rapidamente agitado enquanto ele intensifica o feitiço. Cordana implora que Hadggar pare, vendo isso como tortura. Hadggar percebe o que está fazendo e cede, optando por encontrar outro caminho. 

Após encontrar o Orbe da dominação, um artefato usado pelo Conselho das Sombras para fazer lavagem cerebral em seus espiões Hadggar o usa para expor a representação sombria da vontade de Gul’dan em Garona. Quando a criatura é morta, ela agradece Hadggar e o aventureiro por sua liberdade e promete lutar ao lado deles.

Garona e o aventureiro entram furtivamente em Comando de Bladefury e testemunham Gul’dan. Mais uma vez, ele oferece sangue demoníaco a Grommash., que recusa furiosamente e tenta derruba-lo, mas é contido pela magia demoníaca do bruxo. Gul’dan então oferece seu sangue ao resto dos orcs presentes; Kilrogg dá um passo à frente e bebe o sangue, tornando-se um orc vil cruel. Garona e o aventureiro informam Hadggar sobre esses eventos, e o mago observa que a história está pronta para se repetir.

Preparativos para um novo ataque

Algum tempo depois, Hadggar chegou a Frostwall / Lunarfall para iniciar os preparativos para o próximo ataque. Depois de chegar aos portões, logo após a queda de um experimento, ele começa a canalizar para fazer portais por toda a cidadela. Ele é então visto após a derrota de Gorefiend, horrorizado com a visão, ele teleporta os aventureiros para a Cidadela. Depois que os aventureiros derrotam Mannoroth, é hora de terminar o reinado de terror de Gul’dan, pois ele não tem mais lugar para fugir e ele quer seu crânio. Hadggar acompanha Yrel e Grommash enquanto eles lutam contra Archimonde junto com os heróis de Azeroth. Após a batalha, ele sobe para o portal e olha para Gul’dan e o vê se transformar em chamas vil. Ele então diz a Yrel que Gul’dan e os demônios que o comandam não são tão facilmente banidos. Pois ele teme que isso esteja apenas começando.

Continua …

Eu amo e defendo a classe de Sacerdote em qualquer jogo que eu pise. Jogo Hearthstone desde o beta, mas ainda sim peguei apenas uma vez o rank Lenda. Fico fantasiando sobre qual será a próxima expansão sempre que a Blizzard anuncia a última.