#Hearthstone,  blizzard,  Café com Blizz,  Card Game,  Cards,  carta,  curiosidades,  Hearthstone,  histórias,  HS,  Terralém,  Warcraft,  World of Warcraft

Por dentro do Card: Crânio de Gul’dan

O Crânio de Gul’dan era um poderoso artefato demoníaco criado a partir do crânio do bruxo orc. Usado para uma infinidade de atividades demoníacas, desde a abertura de portais até a corrupção das florestas do norte de Vale Gris, seus poderes foram finalmente consumidos por Illidan Tempesfúria. Embora já tenha sido consumido por Illidan, o crânio ainda detém poder.

Gul’dan foi despedaçado por demônios no túmulo de Sargeras. Um dos bruxos sobreviventes encontrou os restos mortais dele quando escapava do templo. Ele acreditava que mesmo mortos, eles ainda detinham o poder.

Mais tarde, o bruxo foi morto por um guerreiro, que por sua vez foi morto por Hurkan Skullsplinter, o chefe do Mascaosso. Não percebendo seu poder, Hurkan usava o crânio como símbolo de sua posição antes de ser morto por Grommash. Grom entregou a caveira a Ner’zhul para que ele pudesse reabrir a fenda no Portal Negro. 

Depois de recuperar o Livro de Medivh, o Olho de Dalaran e o Cetro de Sargeras de Azeroth, Ner’zhul não precisava mais do crânio para abrir novos portais para outros mundos. Asa da Morte exigiu isso como pagamento por seus serviços para propósitos desconhecidos. Ner’zhul relutou em participar do seu troféu de triunfo sobre o aprendiz. 

O crânio parecia conter um pouco da alma de Gul’dan, permitindo que o bruxo morto se comunicasse com Ner’zhul. Além disso, está implícito várias vezes que o Crânio tem propriedades corrompidas em seu portador, enquanto a voz de Gul’dan o tenta lentamente ao longo do tempo. 

Hadggar, Alleria e Turalyon conseguiram reivindicar a Caveira de Gul’dan de Asa da Morte e encontrar o Livro de Medivh, que Ner’zhul havia deixado para trás quando escapou por um portal. Hadggar usou os dois artefatos para fechar o Portal Negro. Quando desmoronou, ele enviou os artefatos de volta a Azeroth, que acabou nas mãos do Kirin Tor.

Anos depois, o crânio foi roubado de Dalaran pelo terrível Senhor do Medo Tichondrius, ao mesmo tempo em que Arthas Menethil e Kel’Thuzad reivindicaram o Livro de Medivh.

O crânio foi usado pela Legião Ardente para corromper as florestas de Vale Gris e Selva Maleva. O crânio também aumentou os poderes de Tichondrius. Os poderes do crânio foram eventualmente consumidos por Illidan que, ao absorver seu poder, tornou-se meio elfo da noite e meio demônio. Com seu novo poder, ele golpeou a Legião matando Tichondrius. Illidan reteve memórias do Túmulo de Sargeras de Gul’dan, que ele usou em conjunto com seu próprio conhecimento de Suramar para encontrar o Olho de Sargeras. Quando Illidan “consumiu” o crânio, ele não foi destruído, e Illidan o manteve em sua posse. A cinemática de abertura da Cruzada Ardente o mostra segurando o crânio em suas garras, e ele pode ser visto no jogo fazendo a mesma coisa. 

Universo Alternativo

Depois que o universo alternativo Gul’dan é derrotado em Baluarte da Noite, Illidan, recentemente revivido, o mata queimando-o de dentro para fora com fel até que apenas o crânio de Gul’dan permaneça. Illidan então quebra o crânio com a mão.

O fato de o espírito de Gul’dan persistir no crânio foi especulado por alguns, e esse recurso pode explicar parte do comportamento de Illidan. Em Além do Portal Negro, foi mostrado para falar com Ner’zhul, manipulando-o como ele fez na vida. Ele falou momentaneamente com Hadggar quando ele fez contato direto, comentando seu poder absoluto. É provável que Asa da Morte tenha ouvido sua voz, mesmo à distância, como ele parecia atraído pelo objeto, até faminto com o pensamento de possuí-lo.


 

Eu amo e defendo a classe de Sacerdote em qualquer jogo que eu pise. Jogo Hearthstone desde o beta, mas ainda sim peguei apenas uma vez o rank Lenda. Fico fantasiando sobre qual será a próxima expansão sempre que a Blizzard anuncia a última.