Hearthstone

De frente com Eduquesa

Hoje a nossa entrevista é com o Eduquesa, criador e responsável pela página e grupo da Taverna das Divas. O trabalho do Edu para a comunidade de Hearthstone não é só como influenciador, mas é como criador de um espaço para todos os que desejam ser ouvidos e respondidos sem aquela toxicidade que a maioria de nós conhece. Apesar do foco ser a causa LGBT+, este espaço é aberto a todos, desde que sejam respeitosos e amigáveis com as outras pessoas.

Sá e Eduquesa no evento da Blizzard de pré lançamento da expansão Projeto Cabum.

Recentemente Edu chegou ao ranque cinco com um deck de Caçador Midrage, do qual fizemos a análise para o TopDecks (clique aqui para acessar o post),  e aproveitamos para fazer algumas perguntas a ele sobre a jogabilidade. Sem mais delongas, segue a entrevista com Eduquesa!

O que você achou do deck? Quais os pontos considera mais fortes e fracos?

Eu particularmente AMO esse deck. Eu peguei ele do Nightmare, que pegou do Garifar. Os pontos mais fortes são os lacaios com bom corpo com custo baixo, ótimo pra trocar ou agressivar, dependendo da partida. Ele é bem versátil e te dá muitos recursos, como os Segredos, Adaptar e os Zumbichos do DK.

Os pontos fracos são Provocar ou muitos lacaios, ele não lida muito bem com isso, a não ser no midgame quando o [Rexxar, o Sicário] estiver ativo.

Tem alguma match que é muito mais dificil? Ou uma q pareça ser mais facil?

Ele se dá mal contra Bruxo Controle/Par e Token Druida e MUITO bem contra decks lentos, como Quest Rogue.

Qual motivo te levou a escolher o deck?

O principal de tudo foi me identificar com a mecânica e com a classe, não tem como você jogar com algo que não se identifique, por mais que seja tier 1, se você não se adaptar, mude pra um com % maior de derrota no geral, mas que você se divirta jogando.

Você tem alguma dica para quem ainda não jogou com o deck?

Então, ele é um deck Midrage, que é um deck muito versátil, funciona como Aggro ou Controle, dependendo da sua match. Você abusa dos Segredos e das sinergias entre feras para ir direto na cara do oponente e faz trocas inteligentes (quando o sacrifício do seu lacaio é mais benéfico que manter ele em campo). Se as coisas apertarem, você tem um dano na mesa inteira do oponente de dois, com o DK e começa a tirar proveito dos Zumbichos (se você tiver sorte no RNG).

Além do Caçador Midrage, você usou mais algum deck para completar essa subida ao Ranque 5?

Eu também gosto bastante do Ladino Ímpar, segue basicamente a mesma linha do Caçador: Trocas inteligentes e dano na cara.

Conta um pouco pra gente das suas impressões sobre a comunidade LGBT+ em Hearthstone e nos conte um pouco sobre seu grupo e página, a Taverna das Divas.

A comunidade está crescendo bastante! Hearthstone no geral já tem um público específico e quando trazemos a questão LGBT+ pra ele, somos mais específicos ainda. Eu tenho o maior orgulho e sensação de dever cumprido por ter sido pioneiro e criado a primeira (e até então única) comunidade LGBT+ de Hearthstone no mundo. Meu objetivo ao criar a Taverna das Divas, que completou dois anos esse ano, era proporcionar um ambiente livre de pessoas tóxicas onde todo mundo pudesse discutir o jogo de forma saudável e sem aborrecimento, e eu agradeço todos os dias por ter conseguido. Uma vez me perguntaram se eu achava que tinha melhorado a comunidade de Hearthstone e eu pude responder sem pensar duas vezes que SIM! Claro, eu devo isso a todas as pessoas que seguem a página e participam do grupo, sem elas nada disso teria sido possível.

Para finalizar, parabéns pelo lindo trabalho que vem realizando com a comunidade. Gostaria de deixar algum recado pra galera?

Eu não tenho nem palavras pra agradecer todo carinho que eu venho recebendo! Obrigado Mundo de Eluna pelo espaço, pelo trabalho magnifico que vocês tem desempenhado durante esse tempo, por servirem de inpiração pra tantos geradores de conteúdo. Eu sempre fui fã do site e estar aqui sendo entrevistado hoje é um sonho de tornando realidade. O recado que eu queiro deixar pras pessoas é que independente de qualquer coisa, respeitem as pessoas. Quando digo isso não entro nem no mérito de ser ou não LGBT+, mas sim de ser cordial nos grupos com as pessoas, ser tóxico não é engraçado e evita tantos conflitos, pensem nisso, tá? A comunidade de Hearthstone como um todo me abraçou com tanto carinho e eu espero conseguir retribuir isso de alguma maneira com meu trabalho na Taverna das Divas.

Escolho Druida em qualquer jogo, sem pensar duas vezes. Sou jornalista de formação e de coração, e descobri aqui, neste Mundo de Eluna, meu cantinho para desenvolver textos gamers e com outros assuntos que gosto. Peguei ranque legend em HS, já fiz 12 wins na arena, e continuo procurando raides no WOW quando dá tempo.