Hearthstone

Viajantes Astrais: Saiba mais sobre o povo Etéreo

Percorrendo os espaços caóticos entre os mundos, os etéreos são viajantes astrais que moram dentro da Espiral Etérea. Eles são conhecidos por serem colecionadores e comerciantes de itens e artefatos misteriosos.

Agora atraídos para Outland, muitos deles estão procurando rastrear seus tesouros e roubá-los de volta a Espiral Etérea. São mentirosos e patifes que não param por nada para perseguir seus objetivos misteriosos. Não se importam com nada, inclusive jogariam dos dois lados de qualquer conflito, se isso servisse para promover seus próprios objetivos

Os etéreos são semelhantes aos duendes, na maneira como seus sistemas políticos funcionam. E, como os duendes, eles apoiarão qualquer um que aumentaria seus lucros e se oporão a qualquer um que ousar interferir em seus planos.

Os etéreos também compartilham a propensão dos duendes à tecnologia, embora sua tecnologia pareça ser muito mais poderosa e de outro mundo. Eles tem tudo, desde o familiar, como transportadores, até os radicais, como seus eco-domos. Eles usam uma escola única de magia conhecida como tecnomancia.

HISTÓRIA

K’aresh era um planeta árido, lar de um ecossistema próspero e de várias espécies sensíveis. 

Como Dimensius, o Todo-Devorador, encontrou K’aresh ainda é muito debatido entre os etéreos sobreviventes, mas os efeitos de sua vinda eram inconfundíveis. Ele abriu incontáveis ​​portas de entrada para o Vazio e a Espiral ao redor do planeta, banhando K’aresh em energias escuras.

Usando todos os fragmentos de sua tecnologia avançada, uma das raças mortais tentou às pressas construir barreiras mágicas em torno de suas cidades, mas teve apenas parcialmente sucesso. Embora as energias sombrias estivessem bloqueadas, a inundação desimpedida de energia arcana arrancou as conchas corporais dos mortais e infundiu suas almas com energia suficiente para que pudessem subsistir sem um corpo.

Os membros dessa raça, agora chamados etéreos, começaram a se prender com tiras de pano encantadas para fornecer às suas almas estrutura suficiente para sobreviver. Esse estado alterado provou ser uma bênção disfarçada, pois suas mentes aprimoradas e habilidades mágicas permitiram aos etéreos lutar contra Dimensius e suas forças limitadas. Ao longo dos anos, porém, Dimensius finalmente se tornou poderoso o suficiente para convocar exércitos de outras criaturas vazias, forçando os etéreos a fugir para a Espiral Etérea.

O Ethereum, que mantinha o conselho governante da Nexus-Princes, começou a ficar sombrio e retorcido em sua obsessão por vingança. Isso fez com que muitos dos príncipes do Nexus deixassem o conselho e formassem suas próprias organizações com seus próprios objetivos.

Sem se deixar abater, o Ethereum continuou em busca de vingança contra Dimensius, destruindo qualquer um em seu caminho. O Protetorado foi formado para parar o Ethereum em seu caminho destrutivo. O Consórcio é outro grupo derivado, um de contrabandistas, comerciantes e ladrões, que ajuda o protetorado em seus empreendimentos. Um grupo de etéreos chegou a residir em Karazhan.

A Guerra do Nexus

O Ethereum e seu embaixador, Mu’fah, parecem ter negociado um acordo com Malygos e a revoada dos dragões azuis durante a Guerra dos Nexus. 

Grupos de etéreos empresariais surgiram do nada, para oferecer uma série de novas tecnologias e serviços que permitem aos aventureiros de Azeroth personalizar e armazenar seus equipamentos. O acesso à transmogrificação de itens, ao armazenamento de itens especiais e reforja, também é feito por guardiões desta raça, em World of Warcraft.

É revelado que, em troca de sua ajuda na Guerra dos Nexus, Malygos havia prometido ao Ethereum acesso aos tesouros da revoada azul dentro do Nexus. O Ethereum procura se tornar uma força imparável, e eles estão trabalhando para penetrar no Éter Torcido de Coldarra, para obter tais tesouros. Depois que seu líder, Nexus-Prince Bilaal, é derrotado, Azuregos permanece no Nexus para que não caia nas mãos erradas novamente. 

Mais etéreos chamados, liderados pelo vice-rei Nezhar, podem ser encontrados em Mac’Aree, em Argus. Eles são de um certo subconjunto da raça que sucumbiu tragicamente ao chamado do Vazio, e tentam fazer com que Argus caia na escuridão.

Fisiologia

Originalmente, os etéreos tinham forma física. Quando ‘Dimensius, o Todo-Devorador’, atacou seu mundo natal (K’aresh), a energia misteriosa que ele desencadeou rasgou seus corpos. Somente sua tecnologia avançada lhes permitiu sobreviver.

Por fim, foi exatamente essa mudança que lhes permitiu combater Dimensius em pé de igualdade e viajar pela Espiral para encontrar refúgio. Seus corpos podem assumir várias formas, capazes de serem compactados em tamanhos pequenos ou expandidos para sua verdadeira forma: uma massa de energia brilhante com cabeça, olhos e braços vagamente distinguíveis. Quando não estão cobertos em seus invólucros mágicos, são descritos como seres de pura energia; uma massa de poder irregular. 

Eles costumam aparecer em seus invólucros especialmente encantados que mantêm suas formas de energia ligadas às formas humanoides. Os etéreos parecem precisar comer e beber, com seus vendedores vendendo pão e bebidas especiais não encontrados em vendedores de outras raças.

O Comerciante de Almas Etéreo vende um Licor Etéreo que pode ter um efeito estranho em ‘bebedores carnudos’, sugerindo que os etéreos os bebem sem causar efeitos negativos. Com base nos alimentos que Eyonix vende, e seu interesse em gemas, pode-se pensar que eles os consomem e metais preciosos. Alternativamente, os etéreos podem não comer e vender alimentos apenas para o bem dos seres mais corporais com quem negociam e interagem.

O comerciante de vento, Lathrai, diz que a Taverna no fim do mundo não tem nada a oferecer para sua espécie. Os etéreos aparentemente não precisam dormir. Étereos do vazio são infundidos com o poder do Vazio. Suas energias são roxas ou vermelhas escuras. Eles também ouvem sussurros enlouquecedores que os levam a fazer a vontade do Vazio.


Em Hearthstone

  • Vários etéreos apareceram em Hearthstone, principalmente o Campeão do Nexus Saraad e o Ladrão Rafaam. Saraad, participante do ‘Grande Torneio’, monta em cima de um camelo energético, uma criatura que ainda não foi vista no World of Warcraft.
  • Rafaam, o chamado “arqueólogo supremo”, lidera um bando de etéreos vilões em oposição à ‘Liga dos Exploradores’, na aventura de mesmo nome. Rafaam controla três artefatos extremamente poderosos: a Lanterna do Poder, o Espelho da Perdição e o Relógio do Horror.
  • Na aventura ‘Uma Noite em Karazhan’, há uma carta rara de Ladino conhecida como Camelô Etéreo, que fala com uma voz distintamente feminina, indicando que é a primeira etérea feminina a aparecer no universo Warcraft.

Seria Rafaam o único etéreo do mal que aparecerá em Hearthstone e seu universo? Você acredita que ele possa mesmo roubar Dalaran e sair impune das mãos da nossa Liga dos Exploradores 2.0? O que acontecerá com essa raça em WoW e no universo de Hearthstone? Para sabermos mais vamos esperar a chegada da aventura e ver como nossa amada Liga da M.A.L irá sobreviver a esse encontro! Nos vemos em breve.

Eu amo e defendo a classe de Sacerdote em qualquer jogo que eu pise. Jogo Hearthstone desde o beta, mas ainda sim peguei apenas uma vez o rank Lenda. Fico fantasiando sobre qual será a próxima expansão sempre que a Blizzard anuncia a última.